domingo, 30 de setembro de 2012

Reforma no Ensino Superior



O Governo português aprovou recentemente um Despacho que regulamenta a fixação de vagas para o Ensino Superior.
Especial destaque, prende-se com a imposição de uma redução de 20% no nº de vagas nos cursos de Ensino Básico e Educação de Infância nas Universidades e Politécnicos. Trata-se de uma medida que já tardava, devido ao excesso de oferta que hoje o mercado de trabalho apresenta.
De facto, basta consultar o site na internet da DGES – Direcção Geral do Ensino Superior, e constatar que no ano lectivo de  2011/2012, nas candidaturas ao contigente geral da 1ª fase existiam 2000 vagas para o acesso à Licenciatura em Ensino Básico em Portugal (incluindo ilhas), distribuídas por 32 instituições de Ensino Superior (Universidades, Institutos Politécnicos e Escolas Superiores).
No mercado laboral actual, estes valores são excessivamente elevados, tendo em conta as limitações quanto às saídas profissionais que este curso representa.
Olhando para o nosso Distrito, a licenciatura em Educação Básica – Universidade de Aveiro, dispunha de 75 vagas para a 1ª fase em 2011/2012. Uma redução de 20%, representa um corte em 15 vagas, passando agora para um total de 60 em 2012/2013.
A reforma no Ensino Superior é vital, sendo necessário tornar as licenciaturas mais práticas, e cada vez menos teóricas. Uma das causas dos jovens licenciados não conseguirem emprego quando terminam a sua formação académica, deve-se sobretudo à sua falta de experiência, a qual poderia sem colmatada com um ensino mais prático, e virado para as reais necessidades do mercado de trabalho.
O futuro passa por reduzir as vagas de cursos com excesso de oferta no mercado, apostando em áreas como as Engenharias, onde vai existindo ainda alguma oferta laboral.
De referir ainda, que o Despacho aprovado pelo Governo, não possibilita a abertura de cursos com menos de 20 vagas preenchidas. Por seu turno, as instituições apenas podem aumentar o número de vagas das licenciaturas, caso consigam provar a empregabilidade das mesmas.


Jornal Ribeirinhas Jul-2012
Blog Jornal de Pardilhó Ago-2012

Sem comentários:

Publicar um comentário