quinta-feira, 16 de outubro de 2014

A minha sociedade é assim…


Vivo numa sociedade que tem uma mentalidade diferente da minha… o cidadão comum inveja o automóvel novo do vizinho, ou a sua casa e o seu emprego… e o que faz para mudar isso? Nada! Limita-se a invejar e critica-lo. Porque não fazer o contrário? Porque não descobrir uma forma de trabalhar e conseguir um carro e casa maiores que o vizinho?

Vivo numa sociedade que não premeia o mérito pessoal… numa sociedade onde uns precisam de trabalhar e outros não… E estes últimos, não é por serem ricos, é sim porque alguém lhes diz “tu não precisas”, sem qualquer justificação. Mérito na vida, para quê? Trabalhar de graça pela terra, mas que sentido é que isso faz? Na minha sociedade, a forma mais bem aceite de conseguir um emprego, é ir pedir/exigir a quem o consegue dar. Tolo é quem perde tempo a ajudar os outros só porque sente que está a praticar o bem.

Vivo numa sociedade que crítica o sistema político, que critica os Partidos e os Políticos… dizem que são todos iguais, criticam a subida de impostos, criticam as obras, queixam-se de falta de emprego, da falta de dinheiro, da crise… mas não querem perceber porque é que existe crise… A crise existe porque as pessoas a criaram… em primeiro lugar, as pessoas querem viver acima das suas posses, se só têm 5 euros no bolso, não podem comprar algo que custa 100 euros. Podem deseja-la, mas têm que trabalhar muito para merecer tê-la. E em segundo lugar, a crise existe pois as pessoas acham bem pedir/exigir emprego para familiares e amigos, o que leva a que tenhamos maus profissionais à frente de instituições, pois essas pessoas não concorreram a qualquer vaga, caíram lá vindos do céu. E os nossos políticos são iguais… alguém os “convidou” para ir para lá, pouco interessa se são bons ou maus, o que interessa é que são “amigos” de alguém… A verdade é esta, por muitos que custe ler e ouvir, não premiar o mérito pessoal leva à ruína das instituições, do país… Dar emprego a alguém só porque “ele precisa”? Então e os outros todos que estudaram, que lutam diariamente para conseguir uma chamada para uma entrevista, “não precisam” porquê?


Vivo numa sociedade que vai criticar este texto, que vai continuar a queixar-se da vida, a invejar o vizinho, e a considerar normal a “cunha”. Não digam que eu não avisei…

Sem comentários:

Publicar um comentário