terça-feira, 18 de novembro de 2014

Carta ao Pai Natal

Querido Pai Natal,

Este ano portei-me bem e por isso quero pedir-te algumas prendas, não apenas para mim, mas para toda a terra onde eu vivo: Pardilhó. Nos últimos anos, tem visto esta Freguesia perder o comboio da modernização, começa a ficar parada no tempo, a parecer uma localidade fria e escura, sem condições para quem cá vive ou está de passagem. Esta é uma terra de gentes que sabem bem receber e tratar o seu semelhante, de um povo bairrista mas todos com orgulho de serem pardilhoenses. Todos nós merecemos viver numa terra que nos ofereça condições dignas de habitabilidade.

Se tivesse que escolher uma imagem para um postal desta terra, seria a Ribeira da Aldeia. Infelizmente, a mais importante Ribeira do Concelho de Estarreja, carece de investimento para a tornar mais funcional. É usada por pescadores, pela Canoagem da ACR Saavedra Guedes mas também por aqueles que desejam dar um passeio não só em ambiente aquático, como uma simples caminhada à beira ria. Tantas são as vezes que a Ribeira transborda e, em tempo de Inverno, fica tudo em lama, sendo impossível aí circular.

Queria também pedir-te, querido Pai Natal, que iluminasses as cabeças daqueles que têm o poder nas suas mãos para concretizar obras. Assim de repente, queria finalmente ver as ruas sem buracos, principalmente a EN 224-2, a partir da Rua Moinhos do Carvalhal até ao Cabo da Carreira, que se encontra num estado lastimável que deveria envergonhar os nossos autarcas. Em boa hora apresentei queixa às Estradas de Portugal que rapidamente colocaram um tapete perto do Largo da Feliz.
Gostava também que mantivesses a iluminação pública ligada, pois há uns meses atrás havia muitos cortes que colocavam em perigo todas pessoas que circulavam pelo Concelho de Estarreja, totalmente às escuras.

Sabias que em Pardilhó há uma Biblioteca? É que insiste-se em que nada de faça lá, não há exposições, apresentações de livros, palestras, formações, e tudo mais. Podes fazer com que criem actividades por lá?

E já agora, se não for pedir muito, podes colocar um coberto no Mercado de Pardilhó para que os feirantes não estejam a fazer o seu negócio à chuva? E que o lixo seja recolhido em mais dias nos contentores? E agora é que é mesmo a última coisa: podes fazer com que as autarquias locais quando quiserem contratar alguém, abram concurso público, para que todos possam concorrer livremente, e as pessoas sejam escolhidas por mérito e não porque têm amigos?


Não te esqueças dos meus pedidos, querido Pai Natal, tenho a certeza que estes também serão os desejos da população de Pardilhó.

Sem comentários:

Publicar um comentário