quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

Associações Jovens – formação, objectivos e dificuldades



Este artigo destina-se, acima de tudo, a jovens quadros de associações locais, bem como, a potenciais interessados em exercer a actividade associativa, contribuindo para o desenvolvimento da sua comunidade local.
De acordo com o Instituto Nacional de Estatística (INE), em 2010, residiam em Portugal cerca de 3 milhões de jovens até aos 24 anos de idade. Representavam quase 1/3 do total de habitantes do nosso país. Infelizmente, uma parte significativa destes jovens encontram-se desempregados e por isso, fica a questão: o que fazem estes jovens enquanto estão desempregados? Alguns ficam por casa, outros passam o seu tempo num grupo de amigos, informal ou na associação da terra. O importante nesta altura é não estar parado.
Todas as associações juvenis, devem estar inscritas no RNAJ – Registo Nacional de Associações Jovens, para que haja um controlo das existências, mas também para que estas possam aceder a apoios do IPJ – Instituto Português da Juventude (apoio financeiro, técnico, formativo e logístico). Em 2010, estavam inscritas no RNAJ, 1141 organizações. De seguida, apresentam-se os diferentes tipos de Associações Jovens existentes em Portugal:

- Associações Juvenis (ex. Cine Clube de Avanca Escola de Samba Trepa de Estarreja);
- Associações Sócio-Profissionais (ex. Associação dos Jovens Agricultores de Portugal);
- Entidades sem fins lucrativos (ex. Paramédicos de Catástrofe Internacional);
- Federação de Associações de Estudantes do Ensino Superior (ex. Federação Académica do Porto);
- Federação de Associações Juvenis (Federação das Associações Juvenis do Distrito de Aveiro);
- Associação de Estudantes do Ensino Superior Privado (Associação de Estudantes do Instituto Superior Miguel Torga);
- Associação de Estudantes do Ensino Superior Público (ex. Associação Académica da Universidade de Aveiro);
- Grupo Informal de Jovens (ex. Remix Jovem);
- Organização Nacional de Guias e Escoteiros.

De acordo com a Lei do Associativismo nº 23/2006 de 23 de Junho, as associações de jovens são grupos informais, constituídos exclusivamente por jovens até aos 30 anos e com pelo menos 5 elementos.
Mas afinal, quais são os objectivos a atingir pelas Organizações? Em baixo, ficam os objectivos:

- Desenvolvimento e crescimento pessoal;
- Aquisição de competências, valores e potencialidades;
- Formação pessoal, política, cívica, humana e religiosa;
- Desenvolvimento de uma consciência de direitos e deveres;
- Mobilização em prol do bem comum, solidariedade, voluntariado;
- Desenvolvimento do sentido de pertença a um grupo.

Infelizmente, as organizações também enfrentam graves problemas no seu dia-a-dia, caso de:
- Insuficiente divulgação dos valores associativos;
- Carência de Instalações;
- Deficiências na formação de dirigentes e animadores;
- Reduzido intercâmbio;
- Dificuldades em empreender/inovar.

Como vimos, existem inúmeras associações, das mais variadas áreas, desde associações desportivas, grupos religiosos, grupos ambientais, comissões sindicais e juventudes partidárias.
Nos dias que correm, é extremamente importante que os nossos jovens se mantenham ocupados, que construam a sua personalidade e que deixem a sua marca por onde passam.
Fica o desafio: adere a uma associação!

Sem comentários:

Publicar um comentário